cellphone
+ 55 81 3366-2600
E-mail
jfs@jfsauditores.com.br
fluxo de caixa

4 Dicas para organizar seu Fluxo de Caixa

Compartilhe em:

Um fluxo de caixa é extremamente necessário para toda empresa que deseja se manter saudável no mercado. Todo empreendimento que possui controle de suas finanças e compreende as finanças internas por completo, possui formas vantajosas para reinventar seu capital empresarial. Sendo um registro de transações efetivas da empresa, essa ferramenta está entre as mais básicas e necessárias para todas as organizações, através dela é possível saber quais os valores que entraram para a corporação e quais os valores que saíram.

A empresa pode realizar o controle de finanças como achar melhor, através do método manual ou utilizando ferramentas digitais para facilitar os processos. Como a tecnologia é algo que vem crescendo com muita força atualmente, é ideal que as empresas busquem se adaptar aos métodos tecnológicos para agregar ao seu método de organização das finanças.

Agora que você viu como um fluxo de caixa é importante, poderemos adequar o modelo da ferramenta para o seu negócio ao fim deste material. Vamos conversar sobre como organizá-lo.

1 – Tenha um planejamento

Esse é um dos mais importantes dos passos para conquistar um fluxo de caixa organizado e ideal para o seu negócio. Todo o ciclo de uma gestão qualificada para todo e qualquer negócio, é necessário um planejamento qualificado.

Utilizando um planejamento é possível realizar estratégias para o caixa da empresa, é possível analisar projeções e determinar áreas do negócio onde a empresa pretende investir e realizar correções em investimentos desnecessários. É necessário que na criação do planejamento a corporação estipule alguns objetivos financeiros a serem alcançados pelo conjunto empresarial. Denominar os passos do negócio torna mais fácil a execução das atividades.

2 – Trabalhe com categorias

O primeiro passo para trabalhar seu fluxo de caixa com organização é trabalhando diretamente com categorias que ajudem na identificação das transações.

Um exemplo disso é em relação às despesas da empresa, desenvolva categorias, como em manutenções elétricas, gastos com a equipe ou até mesmo com materiais de papelaria e muito mais. O que for coerente aos gastos deve ser inserido em suas categorias, desenvolvendo também alguns grupos para as entradas.

3 – Não misture as despesas pessoais com as despesas da sua empresa no seu fluxo de caixa

Uma empresa que tem o costume de misturar as despesas pessoais com as empresariais provavelmente terá problemas sérios em suas finanças.

Se a separação não for feita, a empresa pode acabar perdendo oportunidades de lucrar por contas de despesas pessoais que estão sendo inseridas no núcleo empresarial. Separe devidamente cada despesa com a sua diretriz e faça com que a sua empresa aproveite de seus lucros corretamente.

4 – Dê atenção aos extratos bancários, notas fiscais e os comprovantes de pagamento

Você se lembra daquelas notas fiscais que você não pede ou recusa na hora de comprar algo? Aquelas leituras de extratos que você se importa somente com o saldo final nela? Então, o acompanhamento detalhado do fluxo bancário da sua empresa é altamente necessário.

Se a empresa realizar uma análise profunda, irá notar a inconsistência acontecendo no fluxo de caixa por conta dessa situação. Fazer este processo manualmente será muito complexo e trabalhoso, reafirmamos novamente a importância de adaptar as funções para ferramentas digitais, ganhando mais tempo, eficiência e qualidade.

Existem softwares que podem ajudar na gestão dos fluxos de caixa, não deixando que nenhuma informação fique desfalcada ou em branco.

Compartilhe em:
Notícias
Home